Amar-te intensamente


Quero tocar sua pele
Caminhar as mãos sobre ela
Cobrir-te de beijos, afagos e carinhos
Impulsionar seus desejos 
Amar-te intensamente
Sentir todo seu calor, seu amor
Envolvente em  meu Ser.

 
Quero viajar na sua emoção
Ouvir a voz que vem de seu coração 
Ler seus íntimos pensamentos.
Enquanto estiver a te amar 
Não quero perder nenhum momento.

 
Quero aquecer-me em teu corpo
Afogar-me em seus desejos
Lhe dar e receber todo prazer
Viver ardentemente o ápice do deleite.

 
Após a delicia do gozo
Quero olhar em seus olhos
Novamente teu corpo acariciar 
Adormecer em seus braços
Repousar-me do cansaço.


Ataíde Lemos

 

O dia que você se foi

Hoje a lembrança veio à mente
De forma mais intensamente
Pois, há anos nesta data partiste
E por isto estou tão triste.

Era 14 de julho de 1993
Já quase beirando as seis
Alguém meio tenso me procurou
E de minha mãe ele falou.

Usou meias palavras pra não me assustar
Por não saber minha reação
Mas senti algo diferente em seu olhar
Que causou-me forte tenção.

Durante o trajeto me tranqüilizava
Dizendo que onde minha mãe estava
Melhor que aqui se encontrava
E que seus filhos ela muito amava

Foi uma grande dor que senti
Quando estirada na cama a vi
Tinha acabado de falecer
Uma cena que jamais hei de esquecer.

Foi difícil demais ter que admitir
Que ela estava deitada ali
Sendo o ultimo dia de minha vida
Que fisicamente a veria.

Alguns anos já se passaram
Muitas boas lembranças ficaram
Mãe, sinto voce junto a mim
Pois sua presença não tem fim.

Ataíde Lemos

Um cristal quebrado

Sempre te olhei com olhos do amor
Caminhei por seus caminhos
Busquei no silêncio suas palavras
Que me tocavam de maneira profunda.
Amava-te no anonimato
Tinha lhe em meus sonhos
Neles o idealizava minha princesa.

Amei quando me convidaste
Para ser seu amigo
Foi imensa a felicidade em saber
Que daquele momento em diante
Mais próximo estaria de você.
Parecia um sonho a realizar-se
Ainda que não soubesse deste amor
Que vivia a te esconder.

De repente, começamos nos falar
E pouco a pouco nos declararmos
Os sentimentos foram expostos
Tudo aquilo que parecia um sonho
Foi transformando em nada, num vazio.

Hoje olho você, me olho
E volto no tempo
Quando te sonhava,
Quando meu amor era silencioso
Morando apenas em meu sentimento,
Quando éramos apenas amigos.
Sonhar as vezes nos faz mais feliz
Do que a própria realização deste sonho.


Ataíde Lemos

Coração perdido

Um coração que insiste
Viver dividido resiste
Sabe que está a sofrer
Mas por medo de perder
Não quer abrir mão
De uma mera ilusão.

Um coração que vive a fantasia
Prefere existir entre as sombras
Conferido ao acaso
Que nele se prendeu.

Um coração perdido
Machucado, ferido
Das armadilhas da paixão
Fazendo nele morada
Que lhe tirou a razão.
 

Ataíde Lemos

O Sentido de meu existir

As palavras são insuficientes,
Os gestos tornaram-se poucos,
As caricias já não dizem tudo.
Meu amor é mais que palavras
É mais que gestos,
Mais que as caricias,
ainda que tão intensas.

Você está dentro de mim,
É meu pulsar, meu ar...
É o sangue que circula pelo corpo,
O coração que bate num compasso único
É a causa de meu viver e sonhar.

É sentimento o qual necessito.
O meu prazer em viver
O motivo de minha alegria. 
 É meu ser, meu querer, o meu amar. 
Enfim, tu és o sentido de meu existir


Ataíde Lemos

Toda dor de amor é doída

Toda dor de amor é doída
É na alma muito sentida
Chega a estampar nos olhos
Por ser a janela do coração.

Toda dor de amor é doída
Parece acabar com a vida
É uma angustia interminável
Fazendo dela (vida) o fim.

Toda dor de amor é doida
Sente-se num túnel sem saída 
É um dilacerar do coração.
Um desfazer-se da razão.

Toda dor de amor é doída
É uma sensação de partida
Sem saber o destino final
É um triste desatino.

Toda dor de amor é doída
Abre uma imensa ferida
Por prender os sentimentos
Dando vazão ao sofrimento.

Toda dor de amor é doída
É como uma jóia rara perdida
Percepção de jamais encontrar
Outra que a substituirá.
Ataíde Lemos
Nós dois nos completamos

Como me delicio no seu corpo!
Viajo entre as estrelas
Percorrendo toda sua extensão
Em sua espontânea entrega
No desejo de se oferecer a mim 
Dá-se por inteira
Numa doação total
Como fruta que deseja ser saboreada
Em toda sua essência
Sem pudor
Sem reservas
E assim seduzir-me com seu amor
Deixando-me dependente
Aumentando minha carência
Que só em você é suprida
Só em ti realizar-me 
Desta maneira viver-te buscar
Saboreando sempre de seu prazer.

Seus ais, seus gemidos
Soam como canção em meus ouvidos
Estimula-nos ao prazer
Numa maior intensidade
Excitando-nos a inventar fantasias
E viajarmos pela magia
Do amor e do deleite.
Ataíde Lemos
Meu Amor e Prazer

Olhei em seus olhos
Percorri pelo seu corpo
Meu coração disparou
Senti um calor, um desejo
Uma vontade imensa de fazer amor
De tocá-la e redescobri-la

Toquei sua pele
Navegando pelo seu corpo
Na busca sensível de seu Ser
Para atingir teu êxtase
Viajei na delicia do prazer
E do amor

Cada detalhe, uma nova descoberta
Uma cobiça a eclodir
Em nossos corpos
Num arder, num anseio
De novas desvendas
Em cada toque.

Uma explosão de sussurros
Num êxtase total
Dos corpos se amando
Entregando sem reservas, sem pudor
Sem medo, sem preconceito
Deixando livremente
Viver o sentimento.
E tudo que a emoção
Pode proporcionar numa paixão
Ataíde Lemos
Alma de mulher

Sensível como um cristal
Precioso perfume
Flor de rara beleza.
Assim é alma da mulher

Alma de mulher
É ternura e pura paixão
Que não tem travas
Nem chaves em seu coração.

Ama ao extremo,
Doa sem limites
Que não raro amar
É sinônimo de sofrer
Por viver intensamente
O amor ardente
No extremo de seu Ser.

Alma de mulher
Doce como mel
Que comumente padece
Com o amargo fel provado
Por um coração desvairado.

Ataíde Lemos
Não me Deixes...

um dia disseste pra mim;
não me deixes...
 
lembras?
faz tempo...
 
não esqueço...
 
a cada tentativa de esquecer-te
é como se ouvisse tua voz dizendo...

não me deixes...
 
hoje preciso tirar-te do meu pensamento,
arrancar-te do meu coração...
 
mas te ouço dizendo,
não me deixes...
 
e ainda sinto teu perfume
a inebriar-me a alma...
 
ainda guardo o gosto
dos teus beijos...
 
ainda sinto o teu corpo
junto ao meu...

ainda ouço tua voz
falando de amor...
 
 como conseguirei esquecer-te
se te trago no coração...
 
ensina-me a viver sem ti
ainda te amo...

M.Flores (Millie)

Minha razão de viver

Voce é o sol que clareia minha vida
O sentimento preso que não deixa saída
O calor que aquece o meu existir
O prazer que necessito e preciso sentir

Voce é a minha metade
Por quem luto e sustento na diversidade
Mesmo sofrendo não consigo desistir
É o ar que respiro que me faz resistir

Voce é a ilusão e razão
Uma intensa e pura emoção
Mesmo passando momentos de dor
Não resisto ficar sem seu amor

Nada é capaz de lhe comparar
Este amor que me faz entregar
Que domina todo meu Ser
O qual estou sempre a render

Voce é a mais linda canção
A poesia repleta de inspiração
O sonho que não quero acordar
Mesmo que varias lagrimas tende a rolar
Sempre vou estar há te amar.
Ataíde Lemos
       Lua

Bela, grande lua cheia
Retornando tão belas lembranças
Testemunha de vários momentos
Expressões fortes de sentimentos.

Sua luz refletida no sol 
Iluminando aquela bela noite
Inspirando os nossos corpos ardentes
Despertando  e transformando este amor carente.

Sobre a sua cumplicidade 
Clareava expondo nossa intimidade 
 De corpos sobre  seu olhar 
Desnudado  no jeito de amar.

Todo vez que estás linda como hoje
Retorno meus pensamentos
Há momentos eternizados
Que tu com esta exuberante beleza 
Faz reviver este inequecivel passado.
Ataíde Lemos
Publicado no Recanto das Letras em 10/08/2006
Quando dois corações se amam

Quando dois corações se amam
Tudo se torna lindo
Cada palavra, cada detalhe
É marcado como preciosidade

Quando dois corações se amam
A vida tem um brilho especial
Tudo se refaz, constantemente sempre é primavera.
É possível ver a beleza na singeleza de tudo

Mesmo quando há dor em certos momentos
Um simples olhar, uma pequena palavra
É capaz de aliviar e mudar os sentimentos
Transformar as lagrima triste em de felicidade

Quando dois corações se amam
Tudo torna pequeno
O brilho nos olhos é constante
Há sorriso nos lábios todo instante.

Quando dois corações se amam
Se houve o cantar dos pássaros
Toda natureza é contemplada
Pois, ela sempre transforma em cenário.
Pois eternizarão no imaginário

Quando dois corações se amam
É um transbordar de emoções
É a leveza do ser
Um triunfar de corações.
Ataíde

Busco - te em meus olhos

Busco-te em meus olhos
Fico num olhar infinito
Perdido, triste, sem sentido
Apenas revivendo do tempo;
Passado; belos instantes...
Saudades, lembranças...
Fico preso em sentimentos.

Busco-te em meus olhos
Sem saber onde te encontrar.
Onde agora estás?
Pergunta sem resposta...
O tempo passa como vento
Leva tantos planos
Tantos sonhos, tantos momentos...
Só não leva voce pra longe
Permanecendo dentro de meu Ser.

Busco-te em meus olhos
É uma saudade tamanha
Que fere minhas entranhas
Sem a esperança da luz
Que ao menos seu raiar
Possa surgir no horizonte
Ainda que distante.
Fico a agoniar a dor
De perder este grande amor.
Ataíde

 
Coisas do coração
Como dizer não
Como dizer nunca mais
Querer fugir de um sentimento
Que é grande demais?

Como fingir que está tudo bem
Que pode romper a qualquer hora
Se é um sentimento profundo
Que consome e que devora?

Como desprender de um amor
Por um simples decreto
Com apenas um texto ou poucas palavras
Acreditar em estar certo?

Coisas do coração
Nos prende pelo tempo
Que não se apaga com pressão.
Guardadas na emoção
Enraizado no sentimento
Fixo no pensamento.

Assim é um grande amor
Que vive eternamente presente
Ressurgindo a todo o momento
No silencio, nos acontecimentos,
Nas lembranças escondidas.
No som das melodias
Ataíde
 

[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]